SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

MP 905 está suspensa após negociação do Sindicato com a Fenaban

27/11/2019

Compartilhe:

Reconhecendo a força dos sindicatos de oposição, ontem, dia 26, pela primeira vez a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) recebeu representantes dos sindicatos dos bancários de Bauru e Região, do Maranhão e do Rio Grande do Norte para iniciar as negociações a respeito dos pontos da Medida Provisória nº 905/2019 que afetam a categoria.
 
Na reunião, os bancos prometeram respeitar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) em vigor, que vence em 31 de agosto de 2020. Ou seja, garantem que até lá vão manter a atual jornada de trabalho de seis horas, que só haverá trabalho aos sábados em ocasiões extraordinárias (como já é hoje), e a manutenção dos sindicatos na negociação da PLR.
 
Também como consequência da negociação de ontem, o “Feirão” que previa a abertura das agências nos próximos dois finais de semana foi suspenso.
 
Entretanto, os banqueiros querem algumas contrapartidas:
– Que seja formalizado um aditivo à CCT para redigir novamente a Cláusula 11, que já determina a compensação das 7ª e 8ª horas obtidas judicialmente através dos valores pagos a título de gratificação de função;
– Que seja incluída uma cláusula que estabeleça que os sindicatos obrigatoriamente realizem uma mediação com a Fenaban antes de ajuizar qualquer ação coletiva.
 
A Fenaban tem convicção que a MP será aprovada pelo Congresso e falou abertamente que defende a sua aplicação integral, argumentando que haverá “isonomia” com outras categorias.
A luta dos bancários não pode aguardar a data-base, 1º de setembro do ano que vem! É preciso uma grande mobilização nacional imediata. Para isso, o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, em conjunto com outras categorias, convoca para 5 de dezembro, um Dia de Lutas para derrotar a MP 905.
 
Tudo o que foi discutido ontem na Fenaban ainda será submetido às direções do Banco do Brasil e da Caixa, que, apesar de estarem presentes na mesa, não garantiram o “acordo”.
 
O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região repudia a tentativa de retirada de direitos históricos como a jornada de 6 horas e defende a realização de assembleia para ampla discussão com os bancários antes de assinar qualquer aditivo.

Notícias Relacionadas

Bradesco, nos ouça! Sindicato protesta contra demissão de bancária portadora de deficiência auditiva

Bradesco 28/06/2022

Bancários esgotados: Mais de 5 mil trabalhadores pedem demissão em 4 meses

28/06/2022

Sindicato reivindica na Justiça direito de férias de 35 dias para egressos da Nossa Caixa com mais de 20 anos de banco

Banco do Brasil 27/06/2022

Newsletter