SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

Notícias

MP 905 está suspensa após negociação do Sindicato com a Fenaban

27/11/2019

Compartilhe:

Reconhecendo a força dos sindicatos de oposição, ontem, dia 26, pela primeira vez a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) recebeu representantes dos sindicatos dos bancários de Bauru e Região, do Maranhão e do Rio Grande do Norte para iniciar as negociações a respeito dos pontos da Medida Provisória nº 905/2019 que afetam a categoria.
 
Na reunião, os bancos prometeram respeitar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) em vigor, que vence em 31 de agosto de 2020. Ou seja, garantem que até lá vão manter a atual jornada de trabalho de seis horas, que só haverá trabalho aos sábados em ocasiões extraordinárias (como já é hoje), e a manutenção dos sindicatos na negociação da PLR.
 
Também como consequência da negociação de ontem, o “Feirão” que previa a abertura das agências nos próximos dois finais de semana foi suspenso.
 
Entretanto, os banqueiros querem algumas contrapartidas:
– Que seja formalizado um aditivo à CCT para redigir novamente a Cláusula 11, que já determina a compensação das 7ª e 8ª horas obtidas judicialmente através dos valores pagos a título de gratificação de função;
– Que seja incluída uma cláusula que estabeleça que os sindicatos obrigatoriamente realizem uma mediação com a Fenaban antes de ajuizar qualquer ação coletiva.
 
A Fenaban tem convicção que a MP será aprovada pelo Congresso e falou abertamente que defende a sua aplicação integral, argumentando que haverá “isonomia” com outras categorias.
A luta dos bancários não pode aguardar a data-base, 1º de setembro do ano que vem! É preciso uma grande mobilização nacional imediata. Para isso, o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, em conjunto com outras categorias, convoca para 5 de dezembro, um Dia de Lutas para derrotar a MP 905.
 
Tudo o que foi discutido ontem na Fenaban ainda será submetido às direções do Banco do Brasil e da Caixa, que, apesar de estarem presentes na mesa, não garantiram o “acordo”.
 
O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região repudia a tentativa de retirada de direitos históricos como a jornada de 6 horas e defende a realização de assembleia para ampla discussão com os bancários antes de assinar qualquer aditivo.

Notícias Relacionadas

Bancário do Santander sofre ataque de pânico após retornar de afastamento

Santander 06/12/2019

Sindicato denuncia falta de sensibilidade do banco

Bancários do BB se unem para ajudar colega diagnosticado com ELA

Banco do Brasil 03/12/2019

Heitor enfrenta Esclerose Lateral Amiotrófica e precisa de ajuda para pagar tratamento nos EUA

Itaú é condenado a pagar 7ª e 8ª horas e intervalo de 15 minutos a gerente

Itaú 03/12/2019

Newsletter