SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Juíza determina que BB garanta ampla defesa a funcionários

Banco terá de pagar R$ 50 mil por danos morais coletivos

09/01/2020

Bancos: Banco do Brasil

Compartilhe:

No mês passado, a juíza Patrícia Germano Pacífico, da 8ª Vara do Trabalho de Brasília, determinou que o Banco do Brasil promova alterações em sua Instrução Normativa nº 383 para garantir o direito ao contraditório e à ampla defesa ao funcionário que passe por processo administrativo interno para apurar falta disciplinar. Além disso, a juíza condenou o banco a pagar uma indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 50 mil, que será destinada ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

A decisão responde a uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho em conjunto com o Sindicato dos Bancários de Brasília e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro.

Segundo a denúncia, as injustiças praticadas pelo BB consistiam no desrespeito ao contraditório e à ampla defesa nos procedimentos internos de apuração funcional; na falta de comunicação oficial aos funcionários sobre os fatos que lhes estavam sendo imputados; na impossibilidade de assistência jurídica por advogados (os quais eram obstados de adentrarem nas dependências do banco); e no não fornecimento de cópia aos próprios investigados do processo administrativo ao qual respondiam.

De acordo com a sentença, o BB terá de adequar o teor da IN 383 a fim de permitir que os funcionários acusados/investigados extraiam cópias dos autos dos seus processos administrativos disciplinares – com exceção dos dados e documentos de terceiros protegidos por sigilo ou pelo direito à privacidade, à honra e à imagem (nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.784/99), sendo vedada a aposição de tarjas pretas em depoimentos ou relatos que não se enquadrem nessa restrição.

A adequação também deve fazer com que a IN 383 especifique expressamente a concessão de prazo razoável para apresentação de defesa em qualquer dos ritos.

O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região lembra que por várias vezes o BB se aproveitou da falta de clareza da IN 383 para prejudicar trabalhadores em processos administrativos.

Notícias Relacionadas

Sindicato reivindica na Justiça direito de férias de 35 dias para egressos da Nossa Caixa com mais de 20 anos de banco

Banco do Brasil 27/06/2022

“BB + leve”: Banco avança com transformação de agências em lojas e coloca em risco vida de bancários e clientes

Banco do Brasil 24/06/2022

Terceirizada do BB é condenada após sumir e não pagar verbas rescisórias e FGTS de trabalhadora

Banco do Brasil 21/06/2022

Newsletter