SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Empregados da Caixa foram “convidados” a participar de desfile do 7 de setembro em Brasília em apoio ao governo Bolsonaro

12/09/2022

Bancos: Caixa Econômica Federal

Foto: Eraldo Peres/AP

Compartilhe:

Empregados da Caixa Econômica Federal foram “convidados”, através de mensagens internas, a irem para o desfile do 7 de Setembro em Brasília. O desfile foi usado como palanque eleitoral pelo presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o jornal Metrópoles, a mensagem foi encaminhada pelos vice-presidentes, que repassaram os convites para superintendências e diretorias do banco. “Pessoal, precisamos indicar, até as 18h de hoje, 5 empregados de BSB de cada SN para o desfile Cívico-Militar Brasília, no dia 7 de setembro”, dizia uma mensagem enviada por um gerente.

Questionado pelo jornal sobre o ocorrido, o banco informou ter distribuído um “lote de convites” que recebeu para o desfile e ressaltou que não se tratava de uma convocação obrigatória para os empregados.

Palanque eleitoral

De acordo com os principais jornais brasileiros, Estadão e Folha de S. Paulo, Bolsonaro pode ter cometido infração eleitoral por ter utilizado a comemoração oficial do bicentenário da Independência e recursos financeiros do Estado para promoção de sua candidatura à reeleição. A Lei da Ficha Limpa e a Lei Eleitoral estabelecem punições para o uso da estrutura pública com objetivo de fazer campanha. Partidos acionaram o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o ato.

O ministro Benedito Gonçalves, corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral, abriu a terceira ação no âmbito do tribunal para apurar se há indícios de irregularidades eleitorais na conduta de Bolsonaro. Segundo ele, em uma análise preliminar, existem elementos suficientes para concluir que a associação entre a campanha de Bolsonaro e o evento cívico-militar foi incentivada pelo presidente.

Durante a celebração, Bolsonaro repetiu slogans de campanha e pediu votos. “Vamos todos votar, vamos convencer aqueles que pensam diferente de nós, vamos convencê-los do que é melhor para o nosso Brasil”, disse.

Para o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, os vice-presidentes da Caixa, que são apoiadores do governo, tinham a intenção de pressionar os empregados do banco a comparecer ao desfile para dar volume ao palanque de Bolsonaro. Prática que pode ser caracterizada como assédio moral. A entidade alerta aos trabalhadores que caso sejam pressionados pelos seus gestores a apoiar, de alguma forma, Bolsonaro, denunciem ao movimento sindical.

Sobre os discursos no evento, o Sindicato acredita que Bolsonaro deve ser punido por usar estrutura e dinheiro público para comício e que as bobagens vazias e vergonhosas ditas por ele precisam parar de viralizar, pois são utilizadas como “cortina de fumaça” para desviar a rejeição de seu governo.

 

Notícias Relacionadas

MPT pede que ex-presidente da Caixa seja condenado em R$ 30,5 milhões por assédio moral e sexual

Caixa Econômica Federal 04/10/2022

Bancária da Caixa de Porto Alegre tem o rosto machucado após agressão de cliente

Caixa Econômica Federal 04/10/2022

Sindicato reforça denuncia ao MPT sobre casos de assédio moral na Caixa

Caixa Econômica Federal 19/09/2022

Newsletter