SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Em um ano, bancos eliminaram 6,7 mil postos de trabalho

18/11/2021

Bancos: Bradesco, Itaú , Outros , Santander

Compartilhe:

Em 12 meses, entre setembro de 2020 e setembro deste ano, os bancos eliminaram 6.763 postos de trabalho. Das 44.003 demissões registradas no período, 45,7% foram sem justa causa.

Do início da pandemia de coronavírus, em março do ano passado, até setembro de 2021, 55 mil bancários foram desligados. Somente em setembro deste ano, 3.116 trabalhadores perderam o emprego.

Apesar disso, no mesmo mês, segundo dados do novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) foram realizadas 4.365 admissões. No acumulado de 2021, de janeiro até setembro, os bancos registraram saldo positivo de 2.751 postos de trabalho.

O saldo positivo foi alcançado, principalmente, por conta das contratações da Caixa – decorrentes de decisão judicial que determinou a contratação dos aprovados no concurso de 2014 – e pela ampliação de postos de trabalho não ligados diretamente aos serviços bancários, como o de profissionais de TI (Tecnologia da Informação).

Rotatividade

Dados do Caged também apontam que o setor bancário continua a ganhar com a rotatividade dos trabalhadores, já que o salário mensal médio dos admitidos corresponde a 92,9% da remuneração média dos bancários desligados. Em setembro, o salário médio do admitido foi de R$ 5.049, enquanto os desligados recebiam em média R$ 5.437,02.

Para o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, os bancos, com o constante crescimento de seus lucros bilionários, não possuem motivos para demitir, ainda mais em meio à pior crise sanitária da história.

A entidade tem lutado pela reintegração dos trabalhadores demitidos durante esse período que é tão difícil para todos, menos para os banqueiros. Somente no Bradesco, 47 bancários de Bauru e região foram colocados, sem justificativa nenhuma, no olho da rua. O Sindicato já conquistou a reintegração de parte desses trabalhadores e aguarda o cumprimento da decisão judicial pelo banco, que até o momento, segue preferindo pagar multa diária de R$ 50 mil para a Justiça, do que manter os trabalhadores empregados (veja aqui).

 

 

Notícias Relacionadas

Bancária aposentada do Santander aceita acordo de R$ 40 mil para encerrar ação de horas extras

Santander 04/10/2022

Sindicato vence ação e bancária do Santander recebe quase R$ 400 mil por danos materiais e morais

Santander 29/09/2022

Assembleia sobre acordo aditivo do Santander e PPRS acontece nesta segunda, dia 26. Participe!

Santander 26/09/2022

Newsletter