SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

CRUELDADE! Usuários do Novo Feas relatam angústia após Economus anunciar fim do plano; Leia depoimentos

06/04/2022

Bancos: Banco do Brasil

Crédito: Istockphoto

Compartilhe:

Desde que o Economus anunciou a extinção do plano de saúde Novo Feas, o medo, a angústia e a revolta tomaram conta da vida dos aposentados oriundos do Banco Nossa Caixa.

Após o anúncio da extinção, que será concretizada no dia 8, os beneficiários foram comunicados que a única “alternativa” é a migração para o plano Economus Futuro, com aumentos nas mensalidades que podem passar de 150% e reajustes trimestrais. Diante disso, muitos idosos, portadores de doenças crônicas, ou em tratamento de doenças graves, como câncer, estão sendo impedidos de continuarem seus tratamentos por conta da extinção do plano e por não terem condições de pagar outra opção.

Para denunciar essa situação, Elias Mounir Maalouf, representante dos associados do Economus, enviou, no dia 16 de março, à Promotoria de Justiça do Idoso, da capital paulista, representação para que o Banco do Brasil adote as devidas providências para que os beneficiários continuem com os tratamentos de saúde. No documento, o pedido sustenta o direito à saúde de pessoa idosa, destacando a Lei n.°10.741/2003 (Estatuto do Idoso), que preconiza a prioridade absoluta no atendimento.

Além disso, é destacado que até hoje, passados 13 anos da incorporação da Nossa Caixa, o Banco do Brasil recusa-se a equiparar a assistência médica aos empregados incorporados e “mantém sua política discriminatória, de exclusão e segregação”.

A representação traz ainda dezenas de depoimentos de aposentados adoecidos, amedrontados pela interrupção nos tratamentos médicos. Os relatos são fortes e comprovam, ainda mais, a insensibilidade do Economus e BB diante da situação. Confira abaixo:

” Em junho de 2021, meu esposo foi diagnosticado com câncer de pulmão. Foi indicada terapia via oral e essa medicação nos é fornecida mensalmente. Em contato com Economus, já obtive a informação de que será interrompido esse fornecimento assim que o plano se encerrar em 09/04/22.”

“O valor do Novo Feas que era R$ 300,00, em 2016, passou ao valor abusivo de quase R$ 3.000,00 em 2021. Cheguei ao absurdo de deixar de fazer refeições para poder pagar o plano de saúde. Fomos para o BB e hoje nos encontramos largados a própria sorte.”

“Fui diagnosticada com câncer de mama, passei por quimioterapia, radioterapia e cirurgia, e tenho que seguir o tratamento por 10 anos. Se migrar para o Economus Futuro passaria a pagar um valor próximo de R$ 2.100,00 e não tenho condições de bancar um valor desse.”

“Ao me aposentar em 2016, fui enganado por esse plano que tinha garantia de sustentação até 2100. Minha esposa é portadora da doença de Crohn e usa medicamento de alto custo coberto pelo convênio. Depois de 37 anos trabalhando, achei que teria uma aposentadoria mais tranquila.”

“No momento me encontro com insuficiência renal, neuropatia diabética e três hérnias de disco que estão comprometendo as pernas. Meu marido também é diabético, já fez ponte de safena e mamárias. Ele está desempregado e só com minha aposentadoria fica inviável pagar o Economus Futuro.”

“É assustador depois de 32 anos de contribuição, saúde debilitada e idade avançada estarmos sendo descartados como bens inservíveis. Não estou vendo saída, se não mudar essa história até 08/04, minha única solução é o SUS e morrer o mais rápido possível.”

“Meu marido fez cirurgia de câncer de próstata e agora é necessário fazer fisioterapia porque ele perdeu o controle para segurar a urina. Não temos mais sossego para fazer o tratamento com paz e tranquilidade. Trabalhei durante 38 anos no Banco para ter essa vida intranquila.”

“Eu e meu marido temos 68 anos, tenho um filho de 38 anos que é deficiente intelectual e teve cerotocone. Há 6 anos também teve câncer de testículo com metástase. Eu e meu marido iremos para o SUS. Estou tentando fazer um convênio para meu filho, mas, como ele tem doença pré-existente não sabemos se iremos conseguir a portabilidade. Fomos jogados no lixo por sermos idosos e com filho deficiente. ”

“Fui diagnosticada com carcinoma de mama em novembro/2021. Estou em tratamento continuo desde de dezembro/2021 e deve se estender até final de maio/2022. Assim, tenho necessitado do plano Novo Feas direto. Acredito que não sou a única nesse momento de incertezas, pois como já sou portadora de uma doença, nenhum outro plano ou seguradora me aceitaria agora.”

“Em mais de 30 anos pagando o plano de saúde, só dei lucro para o convênio, pois utilizava para exames periódicos uma vez ao ano. Agora, tive um câncer de mama e fiquei desamparada pelo Economus. Devido a quimioterapia oral muito forte, também tive problemas no fígado, no útero, olhos, etc. Não tenho condições para aderir ao inviável plano Economus Futuro.”

“Pago Economus desde 1988. Tive algumas sequelas do ambiente de trabalho, como L.E.R. e algumas hérnias cervicais, uma ruptura no tendão do braço direito, epicondilite e bursite, entre outras. Estou em tratamento, inclusive precisando fazer mais uma cirurgia na tireoide para retirar três nódulos. Estou prestes a perder o plano por não ter condições financeiras de pagar.”

Notícias Relacionadas

Nota de falecimento: Luiz Alberto Hoshino, bancário aposentado do BB

Banco do Brasil 29/09/2022

Chega de assédio moral! BB de Avaré ganha festa do Sindicato após transferência de gestor

Banco do Brasil 23/09/2022

Sindicato conquista Cassi a aposentado oriundo do Nossa Caixa

Banco do Brasil 21/09/2022

Newsletter