SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Campanha Salarial 2022: Veja a pauta de reivindicações que será entregue aos bancos privados

07/06/2022

Bancos: Bradesco, Itaú , Outros , Santander

Compartilhe:

Em breve, o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região também irá entregar a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2022 aos bancos privados. O documento foi elaborado por dezenas de bancários no último Encontro da FNOB (Frente Nacional de Oposição Bancária), realizado no mês passado, em Natal (RN).

Confira as reivindicações que serão entregues ao Itaú, Santander, Bradesco, entre outros:

  • Adoecimento físico e psicológico: Desenvolver ações de acolhimento; esclarecer e orientar os trabalhadores que possuem processos no INSS; produzir cartilha específica sobre adoecimento da categoria bancária;
  • Afastamento: Realizar discussões sobre o corte de benefícios durante período de afastamento, como ticket alimentação e PLR;
  • Achatamento dos modelos de gestão nos bancos privados: Realizar discussões sobre os processos de fusão de cargos e setores;
  • Precarização: Realizar discussões sobre as plataformas e sistemas precarizados dos bancos, que prejudicam o fluxo de trabalho dos bancários e contribuem para o adoecimento;
  • Questão de gênero: Fazer a discussão sistemática contra assédio moral/sexual, especialmente em relações de gênero; criar ambientes seguros para denúncia e acolhimento das vítimas; realizar mesas, ações e materiais específicos sobre o tema; discutir sobre metas abusivas
    e os mecanismos de cobranças que os bancos impõe;
  • Fim do modelo de loja nos bancos privados, com a retomada dos serviços de caixas e de equipes de segurança nas agência;
  • Isenção de tarifas e cobrança de juros menores;
  • Abono assiduidade de 5 (cinco) dias;
  • Ampliação do que é considerado acidente de trabalho (com a inclusão da LER/DORT, distúrbios psíquicos adquiridos em decorrência das condições de trabalho e por consequência de assalto, sequestro consumado ou não, bem como, acidentes decorridos do trajeto para o trabalho ou no intervalo para a refeição).

Foto: Ato realizado em outubro do ano passado pelo Sindicato em uma agência do Bradesco, em Bauru. É preciso evitar que os banqueiros continuem sambando na cara dos trabalhadores e da sociedade!

Notícias Relacionadas

À custa da exploração de seus funcionários e cobrança de juros abusivos, Santander lucra R$ 4,084 bi no 2º trimestre

Santander 29/07/2022

Acordo prevê maior prazo para banco de horas negativas no Santander

Santander 26/07/2022

Mesmo com vitória na Justiça, Santander não reintegra bancária adoecida que sofreu assédio moral e sexual

Santander 26/07/2022

Newsletter