SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Síndrome de Burnout: Mulheres foram as que mais sofreram do distúrbio emocional durante a pandemia

01/11/2021

Crédito: jcomp/Freepik

Compartilhe:

Segundo um levantamento da Women in the Workplace – maior estudo sobre mulheres no ambiente coorporativo – as mulheres foram as mais atingidas pela Síndrome de Burnout durante a pandemia de coronavírus. A pesquisa mostra que 42% das mulheres sofrem com sintomas do distúrbio emocional, 10% a mais que 2020.

A Síndrome de Burnout, ou síndrome do esgotamento profissional, é caracterizada pelo estado de tensão emocional e estresse provocados por condições de trabalho desgastantes. Os sintomas da doença são diversos, como mudança brusca de humor, irritabilidade, lapsos de memória, baixa autoestima, dor de cabeça, enxaqueca, cansaço, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares, insônia, distúrbios gastrintestinais, entre outros.

O estudo também mostra que uma em cada quatro mulheres pensam em largar ou alterar a carreira por conta do estresse – a alta rotatividade de funcionárias nos últimos meses em diversos setores comprova essa constatação. Na maioria das vezes, isso se dá em consequência dos “turnos duplos” vividos por aquelas que são mães e precisam trabalhar em período integral, sendo na empresa e em casa, cuidando dos filhos e dos serviços domésticos.

Lembrando que por conta da pandemia, essa sobrecarga vivida pelas mulheres que tem filhos piorou ainda mais, já que elas não puderam contar com o apoio das escolas e creches, que foram fechadas durante a quarentena e ainda não voltaram com o funcionamento normal.

Para o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, as trabalhadoras da categoria também estão vivendo essa situação de esgotamento e adoecimento. Em uma verdadeira corda bamba, as bancárias tentam se equilibrar diante do assédio moral, cobrança de metas abusivas, ameaça de demissão e machismo estrutural nos bancos.

A entidade acredita que enquanto não houver mudanças e as instituições não reconhecerem que elas contribuem para a desvalorização das mulheres nos ambientes de trabalho, o adoecimento dessas trabalhadoras seguirá constante. No combate contra essa situação, o Sindicato oferece atendimento psicológico gratuito a todas bancárias sindicalizadas. Agende um horário: 14 99868-5897.

 

Notícias Relacionadas

Nota de falecimento: Luiz Alberto Hoshino, bancário aposentado do BB

Banco do Brasil 29/09/2022

Bancários alcançaram R$ 23.564,98 em verbas relacionadas à alimentação em 2022

29/09/2022

Sindicato vence ação e bancária do Santander recebe quase R$ 400 mil por danos materiais e morais

Santander 29/09/2022

Newsletter