SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

MPT cobra explicações do Banco do Brasil sobre alteração no protocolo contra a Covid-19

14/01/2022

Bancos: Banco do Brasil

Compartilhe:

O Ministério Público do Trabalho (MPT) realizou no dia 12, uma audiência de mediação para que o Banco do Brasil explique a alteração unilateral no protocolo de segurança sanitária contra a Covid-19 nas unidades da instituição. O pedido da audiência foi realizado pela Contraf-CUT.

O ponto principal discutido na audiência foi a retirada do item que determina o encerramento de expediente da unidade do banco no mesmo dia em que haja a confirmação de caso de Covid-19 entre os funcionários.

Tentando justificar a retirada do item, representantes do BB afirmaram que, no caso de unidades menores, quando houvesse a confirmação de um trabalhador com Covid-19, o espaço seria fechado e todos funcionários migrariam para o home office. Contudo, no caso de unidades maiores, haveria o isolamento da área onde o trabalhador infectado atuava e somente colegas próximos ou que tiveram contato direto com o funcionário positivado durante um eventual almoço ou café, seriam enviados para o trabalho remoto.

Com essa mudança, o banco afirmou que o protocolo estaria mais seguro, porque ampliava as possibilidades de autodeclaração de trabalhadores que eventualmente tiveram contato com colegas contaminados. Entretanto, não há ponto explícito sobre a autodeclaração no Manual de Trabalho Presencial, que dita os protocolos a serem seguidos.

Na audiência, os representantes dos trabalhadores pontuaram que o Banco do Brasil precisa fornecer um Manual com texto claro, para que os gestores saibam, facilmente, como proceder em todos os casos. Eles também afirmaram que não é possível entender porque o Manual ficou mais abrangente, se agora existe necessidade maior de explicar, e de forma subjetiva, quando ou não dispensar os funcionários no caso de haver a confirmação de uma pessoa contaminada.

O banco não soube explicar os critérios técnicos que amparam a sua decisão para alterar o texto, mas insistiu em manter a mudança. Diante do impasse, o subprocurador-geral do Ministério Público do Trabalho, Dr. Francisco Gérson Marques de Lima, suspendeu a audiência e pediu para que o Banco do Brasil elabore uma Nota Explicativa sobre o ponto suprimido.

A continuação da audiência foi agendada para o dia 27, às 14h30. De acordo com a Contraf-CUT, até a nova data, o banco deverá propor uma reunião com a entidade para tratar dos aspectos da Nota Explicativa.

Bauru

O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região também denunciou, no dia 7, ao MPT a alteração no protocolo de segurança do BB. Além de ressaltar que a medida expõe os trabalhadores e clientes ao risco de contágio, o Sindicato denunciou a retomada das visitas aos clientes PJ (Pessoa Jurídica) do banco – média de 70 visitas por carteira.

 

 

Notícias Relacionadas

Sindicato conquista na Justiça suspensão de descontos na conta bancária de funcionária do BB que se encontra no limbo previdenciário

Banco do Brasil 09/08/2022

Após vitória na Justiça, Sindicato começa a devolver contribuição sindical de 32 bancários que são vinculados a Ribeirão Preto

Banco do Brasil 05/08/2022

Sindicato intervém e exige fim das lives de venda de produtos durante atendimento dos caixas do BB

Banco do Brasil 05/08/2022

Newsletter