SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Liminar determina que BB mantenha em funcionamento agência de Sarutaiá

18/12/2017

Bancos: Banco do Brasil

Compartilhe:

Atendendo a um pedido ajuizado na forma de uma Ação Popular, a juíza Danielle Câmara Takahashi Cosentino Grandinetti, da 2ª Vara Cível de Piraju, concedeu liminar determinando a imediata reabertura do Banco do Brasil de Sarutaiá, que era a única agência bancária do município.

A ação foi ajuizada alegando que “o serviço bancário é de natureza essencial” e que “o fechamento da unidade ocasionará prejuízo ao patrimônio público, uma vez que haverá direcionamento da economia local para o município de Fartura, com queda na arrecadação municipal e no faturamento das empresas situadas em Sarutaiá”.

Vale lembrar que, no mês de outubro, a população de Sarutaiá foi avisada que a agência seria fechada no dia 20 de novembro. Diretores do Sindicato dos Bancários de Bauru e Região estiveram na cidade em 23 de outubro, conversando com os bancários e com o prefeito (foto), somando esforços na luta contra o fechamento da agência, que era superavitária e ostentava uma coleção de troféus por seu bom desempenho (o último deles conquistado no primeiro semestre).

Mas, infelizmente, a agência foi desativada antes da decisão da Justiça.

Ao conceder a liminar, a juíza considerou o fechamento da agência “abrupto”, e, mencionando o artigo 173 da Constituição, verificou que isso viola a função social do BB.

Para ela, “dado que a população local é composta em sua grande maioria por pessoas de parcos recursos, (…) é pouco crível que, em tão pouco tempo, haja (…) familiaridade com novas tecnologias” para suprir a falta da agência. Ela ainda lembrou que na cidade predomina o uso de dinheiro em espécie e que “o deslocamento para outros municípios para, pura e simplesmente, sacar dinheiro, só representaria (…) maiores prejuízos à população de baixa renda”.

O Sindicato espera que essa decisão obrigue o banco a reabrir a agência de Sarutaiá. “O BB ainda é público e tem função social”, afirma Paulo Tonon, diretor da entidade e funcionário do banco.

Notícias Relacionadas

BB afirma que apenas funcionários da área de TI são liberados para exercer 100% das atividades em home office

Banco do Brasil 23/11/2022

Sindicato conquista na Justiça nulidade de pena disciplinar aplicada em bancário do BB

Banco do Brasil 21/11/2022

BB lucra R$ 8,4 bilhões no terceiro trimestre do ano

Banco do Brasil 18/11/2022

Newsletter