SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Liminar determina que BB mantenha em funcionamento agência de Sarutaiá

18/12/2017

Bancos: Banco do Brasil

Compartilhe:

Atendendo a um pedido ajuizado na forma de uma Ação Popular, a juíza Danielle Câmara Takahashi Cosentino Grandinetti, da 2ª Vara Cível de Piraju, concedeu liminar determinando a imediata reabertura do Banco do Brasil de Sarutaiá, que era a única agência bancária do município.

A ação foi ajuizada alegando que “o serviço bancário é de natureza essencial” e que “o fechamento da unidade ocasionará prejuízo ao patrimônio público, uma vez que haverá direcionamento da economia local para o município de Fartura, com queda na arrecadação municipal e no faturamento das empresas situadas em Sarutaiá”.

Vale lembrar que, no mês de outubro, a população de Sarutaiá foi avisada que a agência seria fechada no dia 20 de novembro. Diretores do Sindicato dos Bancários de Bauru e Região estiveram na cidade em 23 de outubro, conversando com os bancários e com o prefeito (foto), somando esforços na luta contra o fechamento da agência, que era superavitária e ostentava uma coleção de troféus por seu bom desempenho (o último deles conquistado no primeiro semestre).

Mas, infelizmente, a agência foi desativada antes da decisão da Justiça.

Ao conceder a liminar, a juíza considerou o fechamento da agência “abrupto”, e, mencionando o artigo 173 da Constituição, verificou que isso viola a função social do BB.

Para ela, “dado que a população local é composta em sua grande maioria por pessoas de parcos recursos, (…) é pouco crível que, em tão pouco tempo, haja (…) familiaridade com novas tecnologias” para suprir a falta da agência. Ela ainda lembrou que na cidade predomina o uso de dinheiro em espécie e que “o deslocamento para outros municípios para, pura e simplesmente, sacar dinheiro, só representaria (…) maiores prejuízos à população de baixa renda”.

O Sindicato espera que essa decisão obrigue o banco a reabrir a agência de Sarutaiá. “O BB ainda é público e tem função social”, afirma Paulo Tonon, diretor da entidade e funcionário do banco.

Notícias Relacionadas

Sindicato reivindica na Justiça direito de férias de 35 dias para egressos da Nossa Caixa com mais de 20 anos de banco

Banco do Brasil 27/06/2022

“BB + leve”: Banco avança com transformação de agências em lojas e coloca em risco vida de bancários e clientes

Banco do Brasil 24/06/2022

Terceirizada do BB é condenada após sumir e não pagar verbas rescisórias e FGTS de trabalhadora

Banco do Brasil 21/06/2022

Newsletter