SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

Notícias

Diversas agências de Bauru e região são fechadas após novos casos de Covid-19

Compartilhe:

Com a segunda onda da Covid-19 já em evidência no estado de São Paulo, diversas agências de Bauru e região precisaram fechar suas portas temporariamente após registrarem novos casos da doença entre bancários.

Só nesta primeira semana do ano, a agência do Itaú da Getúlio Vargas e a Caixa Econômica Federal do Redendor, em Bauru; as agências do Bradesco de Águas de Santa Bárbara, Fartura e Santa Cruz do Rio Pardo; e a agência do Santander de Fartura foram fechadas devido a casos suspeitos e confirmados de coronavírus.

No Bradesco de Águas de Santa Bárbara, 3 funcionários receberam diagnostico positivo para coronavírus e 2 apresentaram suspeita da doença. Já no Bradesco de Santa Cruz do Rio Pardo, há 1 caso positivo e 1 suspeito. No Santander de Fartura, 1 caso foi confirmado e 3 funcionários estão com suspeita.

O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região já cobrou dos bancos afetados a higienização dos locais e o afastamento dos funcionários que tiveram contato com os trabalhadores infectados.

Para a entidade, os trabalhadores só serão verdadeiramente protegidos do contágio quando receberem a vacinação contra a Covid-19. Infelizmente, as agências bancárias registram cada vez mais grande fluxo de pessoas, filas e aglomerações. Consequentemente, os números de bancários e terceirizados infectados têm aumentado drasticamente, assim como de clientes e usuários dos bancos.

O Sindicato ressalta que já enviou uma carta ao governador de São Paulo, João Doria, solicitando a inclusão da categoria bancária no grupo de prioritários a ser vacinado na fase 1 do Plano Estadual de Imunização contra o coronavírus, e o documento já está em análise pela coordenadoria responsável.

Apesar do governador afirmar em dezembro passado que a vacinação contra Covid-19 em SP começará no dia 25 de janeiro, a CoronaVac ainda não está aprovada pela Anvisa, o que pode atrasar ainda mais a imunização dos brasileiros.

Além disso, ontem (6), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou durante pronunciamento em rede nacional de televisão, que a vacinação no Brasil começará em janeiro, no entanto, não estipulou uma data concreta e não há vacinas adquiridas pelo governo, muito menos seringas suficientes para imunização da população. Vale lembrar que Bolsonaro suspendeu a aquisição do material “até que os preços voltem à normalidade”.

O país registrou 1.266 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 199.043 óbitos desde o começo da pandemia. É o maior número de mortes registrado em um só dia desde 18 de agosto. O número de infectados também segue crescente, com 7.874.539.

Em Bauru, houve um grave aumento na taxa de ocupação de leitos da rede pública de saúde. No Hospital Estadual (HE), unidade de referência para atendimento voltado à Covid-19 na região, o índice de ocupação de vagas de UTI saltou de 68%, no dia 4, para 84%, no dia 5. No dia 6, a taxa seguia alta, em 78%. A cidade já registra 307 óbitos e 21.238 casos positivos da doença.

Notícias Relacionadas

Santander assina acordo de teletrabalho na Espanha

Santander 03/03/2021

Após caso de Covid-19, Santander de Lençóis obriga funcionários a serem testados em Bauru durante a noite

Santander 25/02/2021

Juntos, 3 maiores bancos privados fecharam 12,5 mil postos de trabalho e 1.375 agências em 2020

Bradesco 08/02/2021

Newsletter