SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Dia da Consciência Negra: RESPEITO! RESISTÊNCIA! CONSCIÊNCIA! UNIÃO!

20/11/2019

Compartilhe:

Hoje, dia 20 de novembro, se celebra o Dia da Consciência Negra. A data coincide com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, líder quilombola e um dos principais símbolos da luta negra no Brasil.

Infelizmente, a desigualdade racial no País ainda é extrema e cruel, colocando os negros como minoria em diversas posições.

Segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), há o triplo de negros entre os 10% com menores rendimentos per capita no Brasil do que entre o seleto grupo dos 10% com maiores rendas. De acordo com o levantamento, 55,8% da população em 2018 se declarou preta ou parda (a soma das duas raças resulta nos negros). Entretanto, no estrato dos 10% com maior rendimento per capita, os brancos representavam 70,6%, enquanto os negros eram 27,7%. Entre os 10% de menor rendimento, isso se inverte: 75,2% são negros, e 23,7%, brancos.

Além disso, na classe de rendimento mais elevado, apenas 11,9% das pessoas ocupadas em cargos gerenciais eram pretas ou pardas. Entre os brancos esse percentual era de 85,9%. No ano passado, os cargos gerenciais eram 68,6% ocupados por brancos, contra 29,9% dos negros.

Nos salários, a diferença também é grande. Na população branca, o rendimento médio domiciliar superou em quase duas vezes o da população preta ou parda, R$ 1.846 contra R$ 934.

Os negros também são os que mais sofrem com a informalidade, que vem crescendo no Brasil após a Reforma Trabalhista. Em 2018, 47,3% das pessoas ocupadas pretas ou pardas estavam em trabalhos informais.

Maioria 

Embora, pela primeira vez, os negros sejam maioria no ensino superior brasileiro, registrando 50,3% dos estudantes das instituições públicas em 2018, e no mercado de trabalho entre aprendizes (57%) e trainees (58%), eles são maioria entre aqueles que não têm emprego ou estão subocupados, e entre as vítimas de homicídio.

Segundo o Atlas da Violência, em 2017, 75,5% das pessoas assassinadas no país eram pretas ou pardas, o equivalente a 49.524 vítimas. A chance de um jovem negro ser vítima de homicídio no Brasil é 2,5 vezes maior do que a de um jovem branco.

Em 10 anos (de 2007 a 2017), o Brasil se tornou um país com mais potencial de morte para negros do que para não-negros. A taxa de homicídios de negros cresceu 33,1% no período, enquanto a de brancos aumentou 3,3%

Para o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, o Dia da Consciência Negra é uma data de respeito à história dos negros e de luta pela igualdade. O racismo estrutural e institucional na sociedade brasileira precisa ser denunciado e combatido!

RESPEITO! RESISTÊNCIA! CONSCIÊNCIA! UNIÃO!

Notícias Relacionadas

“BB + leve”: Banco avança com transformação de agências em lojas e coloca em risco vida de bancários e clientes

Banco do Brasil 24/06/2022

SEXTOU: ARRAIÁ DO SINDBAR É HOJE! ESPERAMOS VOCÊS!

24/06/2022

VOTE “NÃO” na consulta pública sobre retirada de patrocinador dos fundos de pensão

24/06/2022

Newsletter