SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Covid-19 gerou cerca de 19 mil registros de doenças e acidentes de trabalho em 2020

26/05/2021

Ilustração: Michael Hogue/The Dallas Morning News/04-09-2020

Compartilhe:

A BBC News Brasil fez um levantamento junto aos dados previdenciários do país e descobriu que no ano passado a Covid-19 foi a segunda principal causa de doenças e acidentes de trabalho. “Foram cerca de 19 mil notificações relacionadas ao coronavírus que levaram a afastamentos do trabalho, o que corresponde à metade da maior ocorrência no período (ferimento dos dedos)”, informa a reportagem, publicada nessa segunda-feira (24).

“Em razão da pandemia, os técnicos de enfermagem foram a categoria mais acometida pelos diversos tipos de acidentes ou doenças ligadas ao trabalho em 2020, com 35,2 mil registros”, revela o levantamento. Entre as dez profissões mais afetadas, há outras duas do ramo da saúde: enfermeiros (4º) e auxiliares de enfermagem (7º).

No caso específico da Covid-19, o segundo setor que mais registrou acidentes de trabalho foi o de frigoríficos, e o terceiro, o setor corporativo.

Incluindo todos os tipos de doenças e acidentes do trabalho, as dez profissões mais atingidas no ano passado foram as seguintes: técnicos de enfermagem, alimentadores de linha de produção, motoristas de caminhão, enfermeiros, serventes de obras, coletores de lixo, auxiliares de enfermagem, repositores de mercadoria, magarefes (profissionais que abatem e tiram a pele dos animais para consumo) e açougueiros.

Desligamentos por mortes

Já um levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelou que a pandemia fez disparar o número de desligamentos por morte (de todas as causas, incluindo a Covid-19, que não necessariamente estão ligadas ao trabalho): foram 22,6 mil no primeiro trimestre de 2021, uma alta de 71,6% em relação ao mesmo período de 2020 (13,2 mil).

Considerando-se apenas os dados relativos à categoria bancária, a disparada é muito maior: nos primeiros três meses do ano passado, houve 55 bancários desligados por morte, e no mesmo período deste ano, houve 152. Ou seja: o número cresceu 176,4%!

O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região ressalta que, embora a categoria não apareça entre as dez mais atingidas pela Covid-19, o número de bancários vítimas da doença é muito grande. No dia 24, durante a reunião em que a Fenaban apresentou seu protocolo de segurança contra a Covid-19, representantes do movimento sindical cobraram os números de mortes e de contágios na categoria. A federação dos bancos prometeu fornecer os dados nos próximos dias.

Notícias Relacionadas

Bancário que havia sido reintegrado em 2021 é demitido novamente pelo Bradesco

Bradesco 08/08/2022

Após vitória na Justiça, Sindicato começa a devolver contribuição sindical de 32 bancários que são vinculados a Ribeirão Preto

Banco do Brasil 05/08/2022

Sindicato intervém e exige fim das lives de venda de produtos durante atendimento dos caixas do BB

Banco do Brasil 05/08/2022

Newsletter