SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Contraf-CUT entrega pauta de reivindicações da Campanha; Primeira rodada de negociação começa dia 22

21/06/2022

Compartilhe:

A Contraf-CUT entregou, no dia 15, a minuta com as reivindicações da Campanha Nacional 2022 à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). A primeira rodada de negociações com os bancos terá início nesta quarta-feira, dia 22.

Entre as principais reivindicações estão o aumento “real” de 5% (INPC +5%); aumento nos vales refeição e alimentação, no valor de um salário mínimo (R$ 1.212,00); e questões relacionadas à saúde, como, por exemplo, o acompanhamento dos bancários com sequelas da Covid-19.

Além dessas, também há reivindicações por melhores condições de trabalho, pela manutenção do emprego, pelo fim das metas abusivas e combate ao assédio moral. O piso foi definido com base no salário mínimo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese): R$ 6.535,40 e a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários mais parcela fixa adicional de R$ 12.887,04 atualizada pelo índice de reajuste.

A data-base da categoria é 1º de setembro. Neste ano, a Convenção Coletiva de Trabalho da categoria completa 30 anos.

Calendário

As negociações começam nesta quarta-feira, dia 22, e se estendem até o dia 24 de agosto. Confira abaixo o calendário completo:

  • Junho: 22 e 27
  • Julho: 6, 22 e 28
  • Agosto: 1, 3, 8, 11, 15, 18, 19, 20, 22, 23 e 24

O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região ressalta que a categoria bancária não é representada somente pela Contraf-CUT. Bauru, por exemplo, faz parte da Frente Nacional de Oposição Bancária (FNOB), que irá entregar aos bancos sua pauta de reivindicações no dia 1º de julho (veja aqui as reivindicações). A Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec) também representa os bancários.

Para o Sindicato, a pauta da Contraf-CUT é completa, mas tem questões chaves diferentes da FNOB, como o índice e o aumento “real”, que para a entidade, não é válido, já que quem teve perda salarial não pode ter ganho real.  Paulo Tonon, diretor do Sindicato, analisou a pauta e explicou as diferenças, assista ao vídeo: https://youtu.be/DoYfyPlYQdc

 

Notícias Relacionadas

“BB + leve”: Banco avança com transformação de agências em lojas e coloca em risco vida de bancários e clientes

Banco do Brasil 24/06/2022

SEXTOU: ARRAIÁ DO SINDBAR É HOJE! ESPERAMOS VOCÊS!

24/06/2022

VOTE “NÃO” na consulta pública sobre retirada de patrocinador dos fundos de pensão

24/06/2022

Newsletter