SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Brasil ultrapassa 462 mil óbitos pelo coronavírus e e não há previsão de inclusão dos bancários na prioridade da vacinação

31/05/2021

Charge: Cazo

Compartilhe:

Com a divulgação dos números desse domingo (30), quando foram registrados 950 óbitos pela Covid-19 e 41.705 novos casos da doença, o Brasil chegou a 462.092 mortes, entre 16.512.714 pessoas infectadas desde o início da pandemia.
 
Sendo assim, a média móvel de óbitos ficou em 1.844 por dia — há 129 dias que essa média encontra-se acima de 1.000 mortes diárias.
 
Segundo a Folha de S.Paulo, os dados de domingo não incluem o número de casos da Bahia e nem o de mortos de Roraima, pois as estatísticas dos estados não foram atualizadas até a publicação da notícia.
 
E a vacina para os bancários?
 
Diante dos números da tragédia e da perspectiva de agravamento da pandemia com a chegada da variante indiana do coronavírus, o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região vai intensificar a campanha pela vacinação da categoria — campanha essa que teve início ainda no ano passado.
 
Além de cobrar a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), as prefeituras da região e o governo do Estado de São Paulo, a entidade vai passar a cobrar também o governo federal, enviando um ofício ao Ministério da Saúde.
 
Essa reivindicação — que, na verdade, reúne todo o movimento sindical nacional — já obteve apoio de vereadores e prefeitos e de deputados estaduais e federais, mas até agora, apesar do esforço de tantos, a categoria não foi incluída no Programa Nacional de Imunização (PNI) e nem nos programas estaduais.
 
Na última quinta-feira (27), em reunião com a Fenaban, o Sindicato também teve suas expectativas frustradas quanto à imunização dos trabalhadores bancários. Anteriormente, em fevereiro, a federação dos bancos havia dito que os bancários poderiam começar a ser vacinados a partir de agosto. Agora, no entanto, essa previsão foi descartada, visto que nos próximos dois meses (junho e julho) o Brasil receberá 8 milhões de doses a menos do que o esperado, por conta da falta de insumos para a produção das vacinas.
 
Não dá pra esperar mais! Se o presidente Bolsonaro incluiu os bancários como trabalhadores essenciais durante a pandemia, é imprescindível que a categoria seja também incluída na fila prioritária da vacinação! Vacina já!

Notícias Relacionadas

Portal do Inferno do Bradesco: Banco demite mais dois funcionários; Sindicato protesta

Bradesco 17/08/2022

Santander atende reivindicação do movimento sindical e estende período de amamentação de 9 para 12 meses

16/08/2022

Governo Bolsonaro reedita Resolução CGPAR e segue com ataque aos funcionários das empresas estatais federais

Banco do Brasil 16/08/2022

Newsletter