SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

BB retoma pagamento da gratificação dos caixas executivos, mas considerando-os escriturários e impondo perdas na PLR aos em home office

02/09/2021

Bancos: Banco do Brasil

Compartilhe:

Conforme determinação da Justiça, o Banco do Brasil retomou nessa quarta-feira (1º) o pagamento da comissão de caixa para os funcionários da base do Sindicato dos Bancários de Bauru e Região. A comissão voltou a ser paga no mesmo dia em que foi creditada a antecipação da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). No entanto, há dúvidas a serem esclarecidas.

A comissão de caixa

Como se sabe, a partir de fevereiro o BB extinguiu a função de caixa executivo — quem a exercia voltou a ser escriturário — e deixou de pagar a gratificação. O movimento sindical em peso acionou o Judiciário e rapidamente, ainda em fevereiro, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) obteve uma liminar que proibiu o banco de retirar a comissão.

A decisão, da 6ª Vara do Trabalho de Brasília (DF), abrangia todo o país, mas o BB deixou de aplicá-la na região de Bauru pelo fato do Sindicato não ser associado à Contraf. Foi isso o que o banco alegou à Justiça.

Esse “mal-entendido” por parte do BB foi esclarecido numa audiência ocorrida no último dia 23, quando o juiz determinou que o banco tinha até 1º de setembro para retomar o pagamento da comissão na região de Bauru. Além disso, o magistrado deu um prazo de 30 dias para que o BB pague os valores atrasados, retroativos a fevereiro — mês em que a função de caixa executivo foi extinta, no âmbito da reestruturação anunciada em janeiro.

A PLR

O problema agora é que, apesar de ter pago a comissão referente a julho, o banco está considerando como escriturários os antigos caixas que no momento encontram-se em home office, o que gerou diferenças no valor da PLR: enquanto os funcionários que têm atuado nos caixas receberam R$ 8.307,49, os que estão trabalhando remotamente receberam R$ 7.672,68.

Assim, para o Sindicato, o BB não cumpriu totalmente a determinação da Justiça. A entidade vai conversar com o banco para saber se a diferença na PLR será creditada até o dia 23, junto com os retroativos da comissão. No caso de uma resposta negativa, vai tomar as medidas jurídicas cabíveis.

Notícias Relacionadas

Sindicato conquista na Justiça suspensão de descontos na conta bancária de funcionária do BB que se encontra no limbo previdenciário

Banco do Brasil 09/08/2022

Após vitória na Justiça, Sindicato começa a devolver contribuição sindical de 32 bancários que são vinculados a Ribeirão Preto

Banco do Brasil 05/08/2022

Sindicato intervém e exige fim das lives de venda de produtos durante atendimento dos caixas do BB

Banco do Brasil 05/08/2022

Newsletter