SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

Notícias

Santander sobrecarrega bancários que atuam como GNS

19/10/2021

Bancos: Santander

Compartilhe:

No primeiro semestre de 2019, o Santander unificou as funções de caixa, coordenador de atendimento e assistente gerencial em um único cargo: gerente de negócios e serviços (GNS).

Após essa mudança, os bancários do Santander passaram a se desdobrar ainda mais para cumprir todas as atividades do cargo, fato que tem gerado sobrecarga de trabalho e casos de adoecimento. Para se ter uma ideia da situação, quando a demanda de serviço aumenta nas agências, o GNS tem que parar tudo o que está fazendo e intercalar seu serviço para poder atender a fila do caixa e a área de atendimento gerencial. Fora isso, eles precisam atingir as metas de vendas que o Santander estipula sem ao menos levar em conta a situação.

Para piorar, mesmo tendo obtido lucro de R$ 13,8 bilhões em 2020, o banco espanhol eliminou 3.220 postos de trabalho no Brasil — apesar de ter assumido compromisso de não demitir durante a pandemia. Por conta desses desligamentos, a sobrecarga dos funcionários que ainda restaram no banco está ainda maior – assim como as metas – e não há perspectiva de melhora diante da negativa do Santander em contratar mais funcionários para atender toda demanda de serviço.

De acordo com denúncias, esse acúmulo de funções tem gerado receio aos trabalhadores, já que por conta dessa pressão, há possibilidade de ocorrer diferença na tesouraria.

O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região afirma que a criação do GNS beneficiou somente o Santander, afinal, ele está economizando às custas dos trabalhadores. A entidade ressalta que esse acúmulo de funções é inaceitável e insustentável. Mesmo que não exista a possibilidade dos trabalhadores exercerem as funções integralmente, o banco continuará cobrando eficiência e rapidez em todos os processos, tratando os bancários como robôs.

As denúncias que envolvam essa situação podem ser feitas ao Sindicato, pelo WhatsApp (clique aqui). O sigilo é garantido.

 

 

Notícias Relacionadas

Santander pode ser condenado por terceirização fraudulenta

Santander 24/11/2021

Em um ano, bancos eliminaram 6,7 mil postos de trabalho

Bradesco 18/11/2021

TST condena Santander em R$ 50 mil por impor metas abusivas com ranking interno de “melhores e piores” funcionários

Santander 17/11/2021

Newsletter