SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

Notícias

Dia 14: GREVE GERAL

Assembleia hoje, dia 11, às 18 horas, aprovará a Greve Geral contra a reforma da Previdência

11/06/2019

Compartilhe:

O Sindicato dos Bancários de Bauru e Região realiza nesta terça-feira, dia 11, a partir das 18 horas, uma assembleia para aprovar a participação da categoria na Greve Geral do dia 14.

Convocada por diversas centrais sindicais e categorias, além de movimentos estudantis, a Greve Geral será mais um ato contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro, em defesa da Educação e contra o desemprego. As diferenças entre as manifestações de maio para esta são as paralisações que irão ocorrer por todo o Brasil. Milhares de trabalhadores cruzarão os braços em protesto contra todos esses ataques aos seus direitos.
Em Bauru, o Sindicato pretende ter o apoio de bancários de luta, que participarão das paralisações nas agências centrais da cidade.

A Greve Geral tem de tudo para enterrar de vez o projeto maléfico da reforma da Previdência, que acaba com as aposentadorias e massacra os direitos dos trabalhadores. O forte “tsunami” de manifestantes nos atos dos dias 15 e 30 de maio, prepararam o caminho para a Greve Geral da próxima sexta-feira.

Diretores do Sindicato nas manifestações do dia 30 de maio em São Paulo (acima) e em Bauru (abaixo). Só a luta muda a vida! Rumo à Greve Geral!

Não há como negociar nenhum ponto da reforma com o governo. A aposentadoria só depois dos 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres); o confisco dos benefícios após a proposta do tempo mínimo de contribuição aumentar para 20 anos (com redução do valor do benefício para 60%); o benefício integral só ser disponibilizado depois de 40 anos de contribuição; as regras para as mulheres conseguirem se aposentar serem endurecidas; a redução dos valores das pensões por morte (podendo ser menor que o salário mínimo); a redução de benefícios do INSS (licença-maternidade, aposentadoria por invalidez e aposentadoria especial); a redução do Benefício de Prestação Continuada (BPC) pago a idosos (reduzido para míseros R$ 400); o sistema de capitalização, que vai garantir lucros aos bancos, mas vai falir a Previdência pública e pagar benefícios
miseráveis ou até dar calote nos trabalhadores; entre outros ataques da reforma, precisam ser derrotados!

Por isso a importância de aprovar a participação da categoria na Greve Geral é essencial! Compareçam à assembleia e vamos à luta!

Notícias Relacionadas

Para aprovar reforma, Bolsonaro libera mais de R$ 3 bilhões em emendas

15/08/2019

SindBar dia 31 terá feijoada e pagode, com Jô Moura

14/08/2019

9 pontos cruéis da reforma

14/08/2019

A reforma aprovada em 2º turno na Câmara impõe várias derrotas aos trabalhadores. Veja abaixo:

Newsletter