SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

Notícias

BB não aceita debater Cassi na mesa de negociação

03/07/2018

Bancos: Banco do Brasil

Compartilhe:

Na última sexta-feira (29), aconteceu a primeira rodada de negociação da Campanha Salarial 2018 com o Banco do Brasil. Apesar do banco afirmar estar disposto a negociar sobre alguns dos pontos da pauta apresentados, ele manteve a intransigência de não debater sobre a Cassi (Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil) na mesa de negociação, defendendo um fórum específico para isso e  afirmando que precisa cumprir as resoluções da CGPAR (Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União).

Relembrando, a Resolução nº 22 estabelece novas regras de governança para os planos de saúde autogeridos pelas estatais federais, e a Resolução nº 23 estabelece novas regras para o custeio dos benefícios de assistência à saúde oferecidos por essas empresas. Entre outras coisas, as resoluções impõem um limite, em relação à folha de pagamento, para o custeio dos planos de saúde da modalidade autogestão. Também estabelecem que a contribuição da empresa estatal para o custeio do benefício não poderá exceder a contribuição dos empregados.

Propostas que o BB aceitou discutir

Economus: o banco abriu a possibilidade de debater problemas específicos de saúde e previdência para os incorporados.

Saúde: propôs organizar mesas específicas para avançar rapidamente nos debates sobre segurança e saúde do trabalhador, teletrabalho, escritórios digitais, entre outros.

Sistema de pontuação por mérito: o banco estabeleceu que os funcionários cedidos ou requisitados para órgãos governamentais poderão ser beneficiados pela pontuação.

Homologações das rescisões de contrato de trabalhos nos sindicatos: o banco afirmou que está disposto a retomar as homologações nos sindicatos.

Verba de Caráter Pessoal (VCP): o banco irá ampliar o tempo de pagamento.

Tabela de Pontuação Individual do Participante (PIP) da Previ: o banco irá atualizar a tabela.

Funcionários que fizeram concurso específico para a área de TI e que ainda não tomaram posse: o banco estudará a regularização da situação.

O Banco do Brasil também abriu a possibilidade de assinar o pré-acordo para manter a ultratividade da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) e de manter a validade da convenção para todos os funcionários, o que foi negado na primeira reunião com a Fenaban.

Para o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região esses temas que o banco aceitou negociar são paliativos frente aos reais problemas que imperam hoje dentro do Banco do Brasil: salários rebaixados, assédio moral institucionalizado, números alarmantes de funcionários adoecidos e diminuição de seu papel social para o País.

 

Notícias Relacionadas

A partir do dia 24, vote ‘NÃO’ à reforma da Cassi!

Banco do Brasil 24/09/2018

Sindicato entrega cheques referentes à devolução do imposto sindical de 2016

Banco do Brasil 24/09/2018

BB apresenta ao Sindicato o ‘Atendimento Dinâmico’

Banco do Brasil 13/09/2018

Newsletter