SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Autônomo tem de ganhar o dobro de celetista para ter o mesmo padrão de vida

19/10/2018

Compartilhe:

Constantemente tentam nos vender a ideia de que a CLT está obsoleta. Para rebater a ilusão de que atuar como autônomo é melhor do que atuar como assalariado, a Folha de S.Paulo encomendou alguns cálculos a Silvia Franco, “planejadora financeira certificada pela Planejar (associação do setor)”. A intenção do jornal era fazer uma comparação entre os ganhos dos dois tipos de trabalho.

De posse dos cálculos (veja as projeções na tabela ao lado), a Folha publicou no último dia 15 uma reportagem mostrando que, de fato, os assalariados pagam mais imposto, mas, em compensação, contam com benefícios inexistentes para os autônomos. Os números apresentados pela planejadora financeira revelam, segundo o jornal, que “o trabalhador com carteira assinada que deseja partir para uma carreira como autônomo precisa faturar o dobro por conta própria para manter o mesmo salário e os benefícios equivalentes de quando era celetista”.

Para o Sindicato, essa pesquisa reforça o entendimento de que a CLT garante mais qualidade de vida aos trabalhadores. “O trabalhador esquece que, atuando como autônomo, tem de arcar com o que a empresa arcaria se ele fosse celetista”, lembra Paulo Tonon, diretor do Sindicato.

 

 

No primeiro turno, o Sindicato recomendou que os bancários não reelegessem candidatos que votaram pela reforma trabalhista e pela terceirização irrestrita. Jair Bolsonaro, agora no PSL, votou a favor da reforma trabalhista e se absteve na votação da terceirização. No segundo turno, a posição da entidade não poderia ser diferente: quem votou contra os trabalhadores não merece nosso voto!

Notícias Relacionadas

EXPLORA E JOGA FORA: Itaú demite 5 bancários em menos de 15 dias

Itaú 07/10/2022

Bancário da CEF conquista incorporação da parcela CTVA e aceita acordo para encerrar caso

Caixa Econômica Federal 07/10/2022

Bancários do Santander aprovam acordo aditivo e PPRS

Santander 07/10/2022

Newsletter