SEEB Bauru

Sindicato dos Bancários e Financiários
de Bauru e Região

CSP

Notícias

Presidente do BB tem aumento salarial de 4,62%, após proposta de 57% ser rejeitada por acionistas

15/05/2024

Bancos: Banco do Brasil

Foto: Fernando Santos/Divulgação BB

A presidente do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros, teve seu salário reajustado para R$ 78,43 mil, um aumento de 4,62%. O incremento foi aprovado por acionistas do banco, após a primeira proposta de reajuste ser negada.

De acordo com a primeira proposta, a presidente teria seu salário elevado a quase 57%, passando a receber R$ 117.470 mil por mês. O aumento seria necessário por conta da defasagem, em razão do congelamento dos salários dos executivos entre 2016 e 2022.

Críticas

Após ser alvo de várias críticas pelo pedido de aumento salarial de 57%, Tarciana lamentou a situação durante coletiva realizada no dia 9, para comentar o resultado do BB no primeiro trimestre. “Estou aqui há 24 anos: nunca foi por dinheiro”, disse a presidente.

Dias antes, Medeiros já havia comentado o caso durante evento corporativo voltado a mulheres que ocupam cargos de liderança. Segundo ela, havia comentários na internet questionando sua capacidade profissional e, até mesmo, afirmando que o reajuste era “muito para uma mulher”. “Trouxe isso aqui para dividir com vocês porque sei que muitas de nós passamos por isso. No meu caso, com mais exposição pela função e pela rede social, mas quantas de nós aqui já não fomos duvidadas e desacreditadas no nosso ambiente de trabalho? Quantas já não ouvimos um pouco disso no nosso dia a dia? “, questionou.

Tarciana afirmou que o debate em torno da situação vai além do valor do seu salário. “É sobre eu ser uma mulher ocupando espaço de poder”, disse. Ela também declarou que deseja fortalecer o debate sobre a necessidade de equidade salarial entre pessoas de diferentes gêneros.

Para o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, apesar do discurso de Tarciana, na prática, o BB tem desrespeitado várias ações de inclusão e diversidade. Como exemplo, há casos de funcionários negros e PCDs sendo demitidos durante o estágio probatório.

Além disso, é preciso considerar que, se o BB, mesmo atingindo melhor lucro da história do banco no primeiro trimestre concedeu um reajuste ínfimo de 4,62% à presidente, o aumento dos funcionários será ainda pior. Portanto, a necessidade de mobilização dos bancários na Campanha Salarial 2024 é urgente!

Notícias Relacionadas

TST concede liminar determinando que BB permita o ingresso de aposentados oriundos do BNC na CASSI; Sindicato vai ajuizar execuções individuais

Banco do Brasil 17/05/2024

Sindicato vai à Justiça cobrar do BB reintegração de bancário autista, demitido durante estágio probatório

Banco do Brasil 15/05/2024

Sindicato acompanha retorno de funcionários do BB Rui Barbosa, após vigilante ser baleado

Banco do Brasil 07/05/2024

Newsletter